Convocatória reunião 13 e 13 de Abril de 2014

Conselho Regional de Estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo

 

São Paulo, 31 de março de 2014

 

Convidamos todxs xs estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo para a próxima reunião do Conselho Regional de Estudantes de Psicologia – COREP-SP, que se realizará nos dias 12 e 13 de Abril de 2014 no DCE da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) Rua Euclides da Cunha, 71 – Cidade Universitária “Zeferino Vaz” 13081-970 Campinas.

Com o início do ano, uma quantidade significativa de calourxs entram nas mais diversas universidades, sejam particulares ou públicas. É um momento importante para o diálogo sobre os desafios desta nova etapa em suas vidas, e para o início de uma discussão crítica acerca da formação e suas contradições.

No dia 12 de Abril acontecerá no espaço do DCE uma formação a respeito de CRATOD e privatização da saúde com o Fórum Popular de Saúde de Campinas, no qual vai fazer parte de um conjunto de debates que o COREP pretende realizar no decorrer do semestre, afim de uma melhor interação dos estudantes com as bandeiras da entidade.

Lembramos que todxs xs estudantes de psicologia têm direito a voz e voto na reunião, e que não há hierarquia no COREP-SP, sendo que são xs estudantes presentes na reunião que fazem o COREP-SP existir.

 

                                                               Pautas:

– Informe das Universidades

-Atividades para o dia 18 de maio e Marcha da Maconha

– Organizativo COREP-SP

 

Programação:

Sábado, 12 de Abril

Domingo, 13 de Abril

9:00h – Recepção

9:00h – Recepção

10h – Formação

10:00h – Informe

13:00h – Almoço

12:00h – Almoço

14:00h – Retorno da Formação

14:00h – Atividades do calendário

18:00h – Cultural

15:00h – Organizativo COREP-SP

 

Favor confirmar a presença até o dia 11 de Abril de 2014 no e-mail abaixo.
     Caso necessário, xs COREPianxs disponibilizarão alojamento. Os gastos com alimentação serão custeadxs pelxs próprixs estudantes. Normalmente nos alimentamos no tempero maneiro, a R$4.Contamos que vossa entidade divulgue o evento para todos os estudantes e nos disponibilizamos para eventuais esclarecimentos.

 

Contatos:

 

Stephanie Mota (UMESP) – (11)9-7405-2903 (tim)– ste.mgs@gmail.com

Maruan Moufid Doher (PUCC) – (11) 9-5540-4418 (vivo) – marudoher@gmail.com

 

 

COREP-SP

Anúncios

Relatoria 09.04

Presentes: PUC-SP, PUC-CAMP, São Camilo, Metodista-SP, UNIMEP.  Todas privadas! <0.0>

 Realização da atividade

“Apresentação do COREP-SP: Uma historia de luta e conquistas dentro do movimento estudantil em são Paulo”

 

Informes

Metô:

Steh -> Teve uma tretra enorme no C.A. e eu fiquei sozinha no ano passado. Ano passado foi muito desgastante, então esse ano desencanei do c.a. e comecei a atuar e investir energia fortemente em outros movimentos com uma galera realmente comprometida que faz e fala. Em novembro houve reunião com os representantes de sala a respeito de uma eleição, só que ninguém se manifestou em construir uma comissão eleitoral. Semana retrasada/passada uma pessoa que formava o centro acadêmico (mas colou em 3 reuniões só)  mandou um email falando que uma chapa dele tinha sido eleita e ele pediu as senhas da entidade. Ele falou que mandou um e-mail de interesse para alguns alunos (sem regimento e estatuto). Eu me recusei a mandar as informações do c.a , já que é um processo ilegítimo. Esse estudante falou que vai criar outro blog, página e afins. Acredito que na Metô vai ficar sem movimento neste ano, e se tiver vai ser um movimento despolitizado.

Feminismo sem Demagogia: Atividade em São Paulo no qual vai discutir o feminismo a partir de uma perspectiva classista, visualizando as contradições do patriarcado e do capitalismo.

Movimento “Meu Corpo Minhas Regras” está bombando, foi desenvolvido após um assédio que eu recebi no trem, e em união com várias pessoas que sofreram algum tipo de opressão similar.

Pro Wallace: O CRP São Paulo tem arquivado um projeto a respeito da utilização de animais no ensino das universidades. Em Alfenas é proibido o uso de animais, dá uma pesquisada.

 

UNIMEP:

Wallace: Uma nova gestão do c.a. foi formada, com pessoas de diversos anos –gente ainda conseguiu articular uma reunião pra falar com o diretor do curso, para realização do trote e calendário de atividades. Na manhã a gente conseguiu fazer com sucesso, mas a noite saiu fora do controle.. uma galera do segundo ano da psico que não tinha nada haver com o c.a. apareceu com substâncias fétidas e jogou nos calouros e acabou dando problema, já que quebrou o contrato que fizemos com o diretor.

Um membro do c.a. elaborou um abaixo assinado para parar de utilizar animais nas aulas de behaviorismo. A gente está buscando fazer um debate a respeito desse tema, já está rolando no facebook – mas queremos trazer para uma sala.

Mudamos a semana da psico para o segundo semestre, não estamos com o c.a. legalizado – mas estamos na luta. Vai acontecer uma JAC (jornada de analise do comportamento) em junho, a que rolou ano passado foi muito boa. Vamos buscar colocar algum espaço de psicanálise.

Estou trabalhando em uma ONG de direitos humanos com enfoque em sexualidade. Centro de Apoio a Solidariedade a Vida (CASV), o projeto que estou trabalhando é o sangue bom e foca na redução de danos com a população de rua. Estou procurando material sobre drogas, estamos montando um núcleo sobre drogas para formação do pessoal. Achei muito massa um projeto deles chamado vivendo a diversidade, no qual trabalha sexualidade nas escolas públicas (tem parceria com a secretária). Esquina da noite é outro trabalho que envolve profissionais do sexo, no qual envolver desde captações em UBS até informações de direito d@s trabalhador@s.

Existe um coletivo chamado Abrande que trabalha com drogas, é um espaço muito rico com diversos profissionais muito bons. Anuidade de 70 reais para estudantes, é um espaço com diversas vivências. Vai ter uma palestra com a jornalista que escreveu o  Holocausto Brasileiro.

Steh: A respeito de drogas, tem o consultório de rua em SBC que é um espaço interessante para obter informações.

Wallance: Estamos intervindo em um caps AD (que não trabalha em uma metodologia da luta) sobre redução de danos e intervenções mais dignas para com os usuários.

 

PUC-SP:

Thiago:  Vai rolar um encontro em são Paulo sobre estudantes de behavorismo. E tem um conteúdo interessante, desde o preconceito ao estudo até questões sociais.

A questão dos animais já foi tema no ENEP 2011, mas foi muito fraco e isso nunca foi um tema muito trabalhado. Só que caso tenha um pessoal disposto, é um debate que pode voltar a ser da CONEP.

Teve a calourada esse ano, sentimos que agregou muito pouco calouro no C.A. Teve poucos calouros na reunião atual.

Na psico temos uma matéria de psicopato bem conservadora, e a parte prática da matéria é visita a hospital psiquiátrico e fica legitimando o espaço. Após a semana do 18 de maio, os alunos começaram a organizar um movimento para mudar a matéria. Diversos professores ficaram contra o pessoal do C.A. nesse movimento. Conseguimos tirar uma assembléia, e após muito tempo de conversa – conseguimos que metade das visitar sejam na rede substitutiva (CAPS, residências terapêuticas, Centro de convivência, etc).

A gente tava pensando em como fazer a comissão (gt psicopato) ser efetivamente deliberativa. Teve um dia de festa na qual umas garotas retiraram a camisa e umas pessoas começaram a olha de forma não apropriadas para elas, e um funcionário de um c.a. passou a encarar elas e estavam tirando fotos das meninas, e eles afirmaram “ser só uma brincadeira”. As garotas foram tirar satisfação com um pessoal burocrata da facu, e ele afirmou que ela não deveria estar sem camiseta. Os amigos a desencorajaram de continuar nessa luta. Ela chegou devastada no c.a. A gente tirou que março ia ser um mês para debater questão de gênero, tem diversas propostas já e segunda vamos debater isso.

 

São Camilo:

Paulo Alexandre: A respeito da demissão da professora que iniciou a discussão da precarização do curso, acabou morrendo essa questão neste ano de 2014. A Letícia foi convidando um pessoal para fazer parte da chapa, e o fato interessante foi o medo de não ter mais c.a.

Letícia: O pessoal que formava o c.a. vai sair, e isso assustou o pessoal.

Paulo: As eleições para a comissão discente, na qual a diretora colocava uma pessoa a seu bel prazer, ela fez uma reunião com uma pequena amostra de pessoas e tem como um fator avaliativo ser representante de sala. Vai ter uma eleição (que normalmente não é fachada), e surgiu um movimento para votar na Letícia. Acho interessante ter um número de votos, mesmo que a outra pessoa seja eleita, para poder ter material para articular com a Jônia a falta de democracia da universidade .. é claro que se a Letícia for eleita, não vai precisar disso tudo.

Letícia: O processo de formação de chapa foi em cima da hora, e devido a isso não teve formação nem nada. O critério foi mais a boa vontade das pessoas, amanha vamos passar no noturno para convidar mais pessoas. Nossa proposta foi continuar as atividades da última gestão .

 

PUC-CAMP:

Forum popular de saúde esta sendo articulada no interior por dois estudantes de psicologia.

Contato com estudantes de americana e de alguns membros do COREP-SUL. O COREP-SUL até então não se propunha a debater politica cotidianamente, apenas organizar o encontro regional. Recentemente o assassinato de um de seus membros provocou uma mudança nessa perspetiva.

Espaço físico ainda fechado em função da não assinatura do contrato de comodato (é isso?). Será realizada uma ultima tentativa de reganhar o espaço por meios burocráticos, para posteriormente tentar algo pratico.

Os militantes mais novos não tem formação politica para uma ação pratica nesse sentido, e esta muito difícil acumular com o resto dos estudantes forças para uma ação dessas.

Muitos estudantes se aproximaram do C.A durante a calourada, que foi um espaço rico em debates políticos.

Mudança na diretora do curso. A anterior era muito autoridade.

O C.A se constituiu enquanto referencia politica entre os calouros criticante o curso e a faculdade durante a comemoração de seus 50 anos, em dissonância com o discurso da direção.

A construção do EIVI esta indo bem.

CONEPSI (Conselho nacional de estudantes de psicologia)

Aconteceu no fim de semana passado em Cuiaba. Teve formação política, discussão sobre o ENEP, intervenção no congresso brasileiro de psicologia e profissão (CBPP).

 

Repasse:

Espaço de formação foi muito legal, a respeito da saúde. Uma médica da região falou sobre a questão da OS e que quem está a frente do movimento é o sindicato dos médicos. Ela demonstrou dados que iam ser muito bons de para a gente se apropriar, como o antes e depois da privatização de hospitais e o grana investida e ações feitas .

O sindicato dos psicologos de Cuiaba é formado por três gerações da CONEP , e está funcionando muito bem. Está articulando com diversos estudantes , tem um GT que tem mais de 7 faculdades privadas. Eles trazem debates novos para a gente, como por exemplo o da 30 horas da profissão.

A galera que está construindo o ENEP atual é nova, e o pessoal não tem muito conhecimento da construção do espaço. O pessoal de Sobral quem escolheu fazer o encontro acabou revelando diversos problemas de comunicação (nem nas reuniões onlines), eles não estavam revelando como está rolando o encontro.

Acreditamos que ia ser muito ruim quebrar com a sede, já que ia gerar diversos problemas na construção de espaços. Uma representante da sede foi a reunião, e colocou como parte do tema “moradia e saúde”. Henrique ainda vai colocar a ata com as atividades do espaço.

 

FAZER O CERTIFICADO DA FLÁVIA DA PUC-CAMPINAS

 

Calendário de LUTAS!!!!!!

Debates sobre mega eventos:

http://daefi.files.wordpress.com/2013/09/cartilha-megaeventos-digital.pdf

abril: Campinas – Saúde (privatização) e psicologia (internação). 19/20

Maio: Habitação, transporte e o direito à cidade – São paulo 24/25

Junho: ? – UFSCAR – ?/?

Julho: São paulo – Desmilitarização da policia e da politica 19

 

Maruan: vou esfregar você no meu cabelo de tão condicionador que você é! (se referindo a Thiago)

 

lista de datas:

8 de março – dia internacional da mulher.

13 de março – Contra a copa!.

31 de março – ato contra a ditadura em campinas.

7 de abril – dia mundial da saúde.

26 de abril – marcha da maconha.

18 de maio – luta antimanicomial/ abuso a criança e o adolescente.

27 de agosto – dia do psicologo.

28 de setembro – dia da descriminalização do aborto.

20 de novembro – dia da conciencia negra.

 

 

Relatoria 15.02 COREP-SP

Escolas presentes: UMESP, PUC-SP, PUC-CAMPINAS, São Camilo.

– CONEPsi
– Seminário de Gênero/ ENESSO
– Primeira reunião presencial de 2014
– São Camilo
– Construção de espaços no IV CBP
– Articulação com o CRP SP: Ato Médico

CONEPsi:

Na última reunião da CONEP foi pedido que as delegações regionais tentassem na medida do possivel chegar sexta feira no evento. Nossa presença nesta data foi confirmada, Thiago vai na quinta a noite.  Sté sugeriu que devido a dificuldades de algumas regionais em pagar o transporte X, metade fosse paga pela Conep e metade paga pelas regionais.

Na última reunião teve uma questão em relação ao tema do ENEP, que o pessoal da sede deliberou e ficou o seguinte “Sol na cabeça e pé no chão. Fazendo psicologia do litoral ao sertão.”
Steh colocou que esse tema é muito despolitizado, e deveria ser rediscutido esse tema no CONEPSI, que é um espaço mais digno que na regional.

O pessoal da sede tem tomada diversas decisões por conta própria, e a ENEP não está tão presente nesta discussão. É necessário reforçar esse dialogo para o nosso encontro não acabar sendo apenas um encontro.

Proposta de tema tirado na última reunião:
“Repressão aos Movimentos Sociais: da Educação ao Vandalismo.”

Programação: mesa sobre repressão e desmilitarização; mesa sobre opressão falando de opressão nos movimentos;

Encaminhamento: criação de materiais da campanha no próprio CONEPsi, separando a galera por GT’s, se deixa postergando acabamos não fazendo.

 

ENESSO:
O que o pessoal da ENESSO falou com a gente (Sté e Thiago) em Santos, devido a um caso de machismo, eles se organizaram um seminário de formação sobre opressões. É um debate bem próximo do da CONEP, e talvez até tenha mais acumulo do que eles como executiva e fizeram um convite para a construção desse seminário.

Só que a data deste seminário iria ocorrer na data da reunião presencial do COREP. As reuniões da ENESSO vão ser nas terça-feiras em Santos, e assim complica a mobilidade do pessoal do COREP nas reuniões.

Steh: Acho que é complicado a gente ajudar a construir neste momênto histórico, na minha opinião é inviavel a gente organizar algo neste semestre (não temos articulação em Santos, além de não estarmos articulados no começo desse semestre. Não conseguindo, assim, construir de modo ativo e de que de fato contribua para o seminário).

Encaminhamento: Maruan e Sté escreverem carta e enviarem p/ ENESSO agradecendo o convite, mas que, no momento, é inviável pra nós construirmos.

 

Primeira reunião presencial de 2014:

Steh: Indicativo de data ficou para 29 e 30 de março.

Encaminhamento:
Reunião para ser no dia 9 de março, reunião de um dia. No qual não teria formação. Tem foco de trazer pessoas novas e podemos fazer um material bem legal para chamar.

Criar uma imagem para chamar xs alunxs para o espaço. Steh e Carla ficarão com esta função.

Proposta de lugar: Verificar com a Carla (pessoal da UNIFESP) se pra utilizar o DCE por um dia precisa de reserva. Ver como prioridade este espaço, em segundo lugar fica o CCSP.

Pautas: Apresentação COREP-SP; Informes; Repasse CONEPsi; Calendário de lutas e organizativo.

São Camilo:

Há o lance das bolsas que há 3 anos atrás começaram a ser retiradas. Foi organizado um núcleo estudantil para tentar o diálogo com a faculdade sobre isso, a partir do momento que os critérios mudaram repentinamente, sem aviso prévio axs estudantes. O grupo iniciou-se com um debate entre xs alunxs e depois para os professorxs/ coordenadorxs. Na primeira reunião colaram umas 35 pessoas, porém apenas 10 continuaram, e no final das contas quando veio a liminar do juiz dando a bolsa de volta, não havia mais nenhum aluno para ter o direito da bolsa de volta.

Há a questão de quando o pessoal não vê uma solução imediata, começa a desandar. Foi passando o semestre e outras pessoas continuaram perdendo suas bolsas, xs estudantes foram fazendo outros vestibulares, arrumando soluções individuais e não coletivas.

Após isso, foi rolando uma precarização estrutural da universidade, desde os equipamentos até funcionários e professores. Há duas ênfases no curso: Clínica em Organizações de Saúde/ Psicologia Social e Comunitária. O que acontece é que a ênfase de psico social é a “outra”, a que eles colocaram apenas por conta da burocracia da exigência do MEC. Tanto que os estágios em psico social sempre foram muito difíceis de serem começados, onde o próprio aluno tinha que ir atrás de lugares para estagiar; na contratação de professorxs o alvo eram docentes que tinham conhecimento amplo em saúde e alguma coisa rara em social. Alguns locais de realização de estágio eram proibidos de receberem xs alunxs. E enquanto isso, a ênfase em Clínica recebia toda a estrutura e investimentos possíveis.

No semestre passado houve a demissão da secretária de curso da psicologia, juntamente com todxs xs outrxs secretárixs de curso. Foi feita uma movimentação com pouca adesão, tentando contextualizar essa questão com todo o restante da discussão da precarização da universidade. Foi encaminhado em massa para a ouvidoria. Foi pensado em fazer isso por meio do C.A, mas por experiências anteriores, viram que quando a movimentação era por meio do C.A gerava dois efeitos: o primeiro era a individualização da coordenadora em cima de 2 ou 3 aluxs que puxavam a problemática, como se estes estivessem fazendo birra; e o outro efeito era que xs alunxs compravam essa postura de que xs alunxs estavam reclamando por reclamar, até mesmo com discursos reacionários e conservadores.

Houve uma imensa dificuldade em contra argumentar com essa galera, pois mesmo mostrando todo o quadro de precarização, xs estudantes achavam que tudo estava certo. Ao invés de assinar enquanto C.A, foi preferido que ele fosse uma espécie de órgão que acessorasse as movimentações, mas que um coletivo a parte fosse criado para estas demandas políticas.

Há rumores de que há dificuldades financeiras da universidade, mas como não há dados abertos oficiais, não passam de rumores. O Hospital S. Camilo assumiu a gestão da universidade, e logo em seguida, os cortes de bolsa rolaram (2012).

Sté: Me parece que o lance de corte de bolsas sem necessariamente  estarem motivados por razões econômicas, mostra uma tentativa de elitização e entrada única de pessoas pagantes, por um viés meritocrático.

Thiago: O ínicio do curso é mais barato , geralmente, e no decorrer aumenta o preço. Essa ação pode estar vinculado nesse ponto, o corte de bolsas ou aumento de mensalidade é uma forma da instituição se manter estruturada.

Paulo: Faz sentido, pois somente alunxs após o período de ínicio de estágios que perderam suas bolsas.

A última ocasião onde foi tentado uma movimentação enquanto C.A foi referente a obrigatoriedade de participação em um congresso interno. A coordenação chamou pra uma reunião e teve posicionamentos na reunião de tentar provar que o C.A não existia, pois este não estava de acordo com o regimento interno da universidade. O C.A deixou claro que a reunião não deveria ser sobre a legitimidade do C.A, mas sim sobre a obrigatoriedade dxs estudantes participarem de tal congresso.

A coordenadora de curso colocou em um momênto, que é errôneo manifestação por parte dos alunos da universidade, demonstrando a falta de espaço dos estudantes. Neste final de semestre, perdemos uma das poucas professoras boas da instituição, ela foi demitida abruptamente no final do semestre passado. Resolvemos fazer um encontro com a coordenadora para discutir determinado caso. A coordenadora falou que a professora pediu por demisão, já que a presença dela, da professora, enfraquecia o grupo de professores da instituição. Essa professor fez algumas críticas a São Camilo que a gente não conhecia, era a respeito da encaminhação do campo de estágio, que antigamente o tempo que os professores dedicavam aos estágios era dividido ao estágio e a sua atuação na instituição (não necessáriamente com os alunos) além de fazer a procura de novos campus. E isso foi retirado deles e agora tem que concentrar seus esforços na supervisão na sala de aula. Ela foi a única que se levantou para questionar isso, e isso incomodou a instituição, fora que ela tinha certas propostas contra o DSM, os testes e estas atitudes foram mal vistas pela instituição. Após a demissão, houve uma reunião entre as turmas e a coordenadora e aparentemente foi maravilhosa. Está reunião foi meio para falar das dores, e não serviu para uma atuação concreta. Criamos um grupo a respeito dessa reunião, só que não deu frutos.

A questão é que legislação externa a instituição, é a necessidade de um colegiado de curso, só que não fala das eleições (que é baseada no regimento de curso). O representante discente é escolhido através de uma lista triplice que é encaminhada para o reitor. O C.A. colocou que ia realizar as eleições, porém a Jônia (coordenadora) atropelou as pautas e acabou criando um regimento próprio, sendo que: o registro é por um e-mail que somente ela tem acesso e após escolher os três mais votados, ela vai fazer uma entrevista com eles. Ela escolheu alguns critérios, sendo que um deles é experiência de representante de sala. Ela vai encaminhar essa lista triplice para o reitor com o parecer dela. Com isso ela acaba ignorando o estatuto do C.A.

A gente tenta levar essas informações para os outros alunos, e ninguém liga.

Steh: Essa situação me lembrou muito da situação da Metodista, a luta individual na instituição é desgastante, é como dar murro em ponta de faca. Causa um estresse muito alto, e tem que pensar se estas ações vão realmente mudar alguma coisa ou apenas vão atingir as pessoas envolvidas durante todos esses anos. Que no caso, são sempre as mesmas duas pessoas que acabam aguentando toda a bucha nas costas.

Thiago: O COREP é uma gremiação de militântes de diversas entidades. Ele tem sérias limitações de onde pode ajudar um aos outros. Além de compartilhar as experiências das universidade, podemos fazer a atuação de ir o pessoal nas universidades conversar com os alunos, só que tem que ver até onde isso é cabivel. Caso a briga seja muito grande, acho que não é o caso abandonar ela (Thiago dá exemplo da luta sobre as eleições da reitoria), tem que mostrar algumas vitórias para não desmotivar e assim melhorar a ação dxs estudantes, seja isso um cine debate ou uma palestra. Se tem uma galera nova que não sabe como atuar com o C.A. , acho que é uma boa a gente ir lá articular para gente conversar sobre isso.

Steh: Eu tive acordo dos espaços fora da universidade, mas é muito delicado comparar as ações da PUC-SP com a São Camilo. A PUC é uma particular que tem um histórico de movimentações estudantis desde a época da ditadura, não pode ser uma universidade que sirva de parâmetro para as particulares como a São Camilo, Metodista e Anhangueras.

A São Camilo não tem espaço nem para os professores que decidem dar aulas com conteúdo crítico, e uma atuação do COREP pode ser boicotada pela instituição e o Paulo e Anisha(:) podem chegar a sofrer repressão por parte da instituição, como já vem sofrendo através das individualizações da coordenadora. Novamente, a questão levantada é que a conjuntura dessas particulares não são nada favoráveis a qualquer movimentação estudantil, e é perigoso insistir por mais de 2 anos nas mesmas pessoas de sempre levando nas costas as mesmas demandas e culpabilizações.

Paulo: Estamos no último ano , e mesmo após dois anos de atuação no c.a. a gente decidiu que não vamos mais fazer parte, hoje constituimos a comissão eleitoral. A gente não sabe se vai ter alguma chapa, a Jônia jogou essa eleição em nossas mãos. Tenho visto uma preocupação por parte dxs estudantes, que aparenta estar um pouco assustados com o fato da gente não ser mais do C.A. tem gente que vem com uns discursos para tentar fazer a gente concorrer de novo. Prevemos que não vai ter outras gestão do c.a., só que não sabemos como vai ser da semana acadêmica, que era construida pelo c.a.
Desde o início a gente tentou demostrar os alunos quais são os direitos deles, e sempre auxíliamos os alunos. Acho que não ter uma nova gestão, pode causar um sentimento nas pessoas a respeito da importância do c.a.

Encaminhamento: Como último ação, fazer uma intervenção nos estudantes de lá, por meio de uma panfletagem muito simples. Alguma coisa do tipo “Parabéns Jônia, você conseguiu X,Y,Z, prejudicando os alunos de psicologia. E você só conseguiu pelo motivo de ninguém ligar.”

Thiago: Concordo que a dinâmica de algumas pagas é diferente de outras. Achei sua ideia muito interessante, mas ia ser complicado a questão do anônimato – sendo que alguém vai estar planejando. Só que não sei se ser tão direto na questão dos estudantes possa ser positivo, mas achei muito bom – ainda mais podendo encaminhar para uma reunião futuramente. O legal também é mostrar o histórico de vitórias dxs estudantes, como a questão da semana acadêmica. Proposta do nosso pessoal ir até lá com lattes fake, para não dar suspeitas.

Steh: O lance da carta achei legal, mas botar nomes pode dar problemas juridicos.Tenho desacordo com o lance de cupabilizar os alunos, atingindo com agressividade, eles responderão com agressividade. Também precisamos pensar nos encaminhamentos passados onde nos comprometemos a panfletar nas escolas, e acabamos não conseguindo cumprir. É necessário que façamos encaminhamentos conforme nossas pernas.

Encaminhamento: Construção de uma panfletagem na São Camilo, contendo informações a respeito dos erros da direção. Sendo que está panfletagem vai ser construida pelo pessoal de lá (imagem e texto) e em articulação com o COREP-SP vai fazer a atuação concreta.

Prover métodos de invasão da São Camilo por parte do pessoal do COREP, para articulação das panfletagens.

IV CBP:

Um dos encaminhamentos da reunião da CONEP, é que a gente fechasse os espaços com data limite de 20 de fevereiro. O problema surgiu que a secretária ligou para a Sté e comentou que os convidados precisariam pagar o evento (R$280), pelo fato de não ter inscrições suficientes. Quinta-feira dia 20 vai ter reunião do FENPB e Sté vai colocar esse ponto para as entidades. E caso os convidados precisem realmente pagar, vai acabar tendo um problema para a existência dos espaços.

Thiago: No último CPB teve um problema devido ao baixo número de membros da CONEP inscritos, e nisso ficava um constante escambo das pessoas para frequentar.

Steh: Ninguém vai ter insenção neste espaço. NEM OS ESTUDANTES.

Encaminhamento: É falar com o pessoal responder o quanto antes o nosso e-mail, para fechar as datas dos espaços a tempo.

Argumentação: pessoas pagam a inscrição nos últimos meses; os convidados irão contribuir para o evento, sendo incabível serem cobrados a participar, dado momento em que a participação não agregará em nenhum lattes p/ eles, sendo que todxs são militantes de movimentos sociais e não acadêmicxs.

 

Articulação com CRP-SP:

Maruan e a Sté foram na reunião de discussão sobre o Ato Médico, no qual membros da chapa atual do CRP 06 estavam presentes: Fátima Nassif, Moacyr, Magano, etc. Foi debatido como os conselhos estão articulados à frente da psico, que estão muito mais ligados no que rola, tanto que essas reuniões serão espaços pro início dessa articulação.

Encaminhamentos além da nova reunião, foi puxar reuniões com deputados, articulação com o FOPS, calendário de lutas (CRP se articular com esses pontos). Também foi discutido e aprovado uma cadeira para nós nesses espaços de poder.

Sté problematizou que por mais burocrático que estes espaços sejam, são importantes pro M.E, tanto para termos mais acúmulo concreto de quem é quem dentro desses espaços, como seu funcionamento p/ melhor embasamento nas discussões e encaminhamentos da CONEP.

Thiago: Históricamente a gente participou destes espaços, mas do nada a gente mudou.

Na reunião Sté levantou que o CRP aparecia na tv falando sobre ato médico, mas não tinha formação política com os profissionais psicologos, além de puxar atos terça feiras oito da manhã, o que não mobilizava ninguém. Propôs que o CRP investisse energia em formações, e não somente em atos furados ou em aparições na televisão que de fato não mobilizaram a categoria.

Foi consenso que o COREP-SP continue participando dessas reuniões e integre estes espaços.

Encaminhamento: continuar Sté e Maruan

Thiago pontuou que a reunião online foi positiva, todxs tiveram acordo.

Convocatória Reunião COREP-SP 09 e 10 de Novembro

Conselho Regional de Estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo

São Carlos, 1 de novembro de 2013

                  Convidamos todos os (as) estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo para participar da próxima reunião do Conselho Regional de Estudantes de Psicologia – COREP- SP que será realizada nos dias 09 e 10 de novembro na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar – campus São Carlos), Rodovia Washington Luís, km 235, SP-310.

                  Na última reunião do COREP-SP, realizada na cidade de Ribeirão Preto, vimos necessidade da aproximação da entidade com os cursos de Psicologia situados no interior do Estado. Naquela ocasião, discutimos maneiras e meios de fortalecer o movimento estudantil de Psicologia. Entendemos que o fortalecimento dos Centros Acadêmicos é essencial neste processo. Faz-se necessário discutir como os nossos CAs podem criar ações que motivem os estudantes a trazer para junto de sua formação a participação no movimento estudantil.

                  Entre os dias 25 e 27 de outubro, foi realizado, em Vitória-ES, o CONEPsi (Conselho Nacional de Estudantes de Psicologia). Na próxima reunião do COREP-SP, serão feitos os repasses de tudo que foi discutido e encaminhado durante esta reunião.

                  Em São Carlos, iremos discutir como realizar o trabalho de base do COREP-SP, que consiste na conscientização dos (das) estudantes sobre a importância de participar da construção de Centros Acadêmicos e do próprio COREP-SP, onde as experiências locais de cada um podem ser compartilhadas e podemos construir uma visão conjunta daquilo que pretendemos enquanto Movimento Estudantil. Teremos como pontos de pauta principais a mobilização de estudantes de Psicologia frente às manifestações que vem ocorrendo no Brasil e a discussão acerca dos PPPs (Projeto Político Pedagógico) dos cursos de Psicologia do Estado.

 

Programação:

Sábado – 09/11

Domingo – 10/11

 

9h: Recepção, apresentação do COREP-SP

11h: Repasses das Universidades

14h: Trabalho de base da COREP

17h: Formação: As mobilizações atuais e os (as) estudantes de Psicologia

9h: Avaliação CONEPsi

11h: Formação: Plano Político Pedagógico

13h: Formação: Plano Político Pedagógico

16h: Encerramento

 

Contamos com a presença de todos (as) os (as) estudantes. A sede disponibilizará alojamento em repúblicas. A alimentação será feita em restaurantes próximos (e baratos) à faculdade, já que o RU permanecerá fechado entre o sábado à noite e o domingo. Assim, pedimos que os (as) participantes tragam recursos para a alimentação.

Contatos:

Lucas (UFSCar) – (11) 9-9722-2073 ou (16) 3413-8805

Convocatória Reunião COREP-SP 28 e 29 de Setembro

Conselho Regional de Estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo

 

São Paulo, 11 de Setembro de 2013

 

Convidamos todxs xs estudantes de Psicologia do Estado de São Paulo para a próxima reunião do Conselho Regional de Estudantes de Psicologia – COREP-SP, que se realizará nos dias 28 e 29 de Setembro de 2013 no ECEU da Universidade de São Paulo (campus Ribeirão Preto) – Avenida Nove de Julho, 980 (Rua Sete de Setembro), Ribeirão Preto, SP, 14025-00.

Diante das últimas manifestações de Junho e do XXVI ENEP (Encontro Nacional de Estudantes de Psicologia) realizado em Goiânia no ultimo mês de agosto, vemos a necessidade de retomarmos as formações, para que assim possamos gerar acúmulos que fortaleçam as entidades estudantis e xs estudantes do Estado. Também durante nossa última reunião, foi vista a necessidade de discutirmos os nossos PPP (Projeto Político Pedagógico), trazendo a responsabilidade de cada universidade/ escola conseguir o seu e levar nesta reunião para discussão e possíveis encaminhamentos. Também reformulamos a nossa carta de apresentação para uma linguagem onde ficasse clara a autonomia do COREP-SP em relação a partidos políticos, entidades, governos e outros coletivos.

Por isto fazemos esse chamado para fortalecermos e construirmos este espaço de forma conjunta.

Lembramos que todxs xs estudantes de psicologia têm direito a voz e voto na reunião, e que não há hierarquia no COREP-SP, sendo que são xs estudantes presentes na reunião que fazem o COREP-SP existir.

 

Pautas:

 

– Informes
– Avaliação ENEP

– Repasse Movimentos/ Eventos/ Reuniões
– Organizativo COREP-SP

– Formações

 

 

Programação:

Sábado, 28 de Setembro

Domingo, 29 de Setembro

 09:00h –  Recepção, apresentação do COREP-SP

 09:00h –  Informes
Avaliação ENEP e Repasse Movimentos/ Eventos/ Reuniões
Organizativo COREP-SP

 14:00h –  Formação: As Mobilizações Atuais e xs Estudantes de Psicologia

         14:00h – Formação: Projeto Político Pedagógico

 

Favor confirmar a presença até o dia 25 de Setembro de 2013 nos emails abaixo.
             A sede disponibilizará alojamento. É importante que os participantes tragam colchões e cobertores. Além de recursos para os gastos com alimentação.  Para facilitar a participação dos estudantes, todxs serão convidadxs a dividir todo o custo para a participação na reunião igualmente entre xs participantes, além de todo o valor gasto com passagens para a reunião.
             Contamos que vossa entidade divulgue o evento para todos os estudantes e nos disponibilizamos para eventuais esclarecimentos.

 

Contato:
Bruno Tarpani (USP-RP) – (16) 8221-1490 – brunotarpani@hotmail.com

Maruan Doher (PUC- Campinas) – (11) 9-5540-4418–  marudoher@gmail.com

 

 

COREP-SP

Ata reunião 13 e 14.07

Escolas presentes: FMU, UMESP, UNIFESP, USP-RP, São Camilo, USP-SP, PUC-SP, PUCCamp

Informes:

 USP-RP: CEP (Centro Estudantil de Psicologia): Pensando o papel da representatividade, realizam 2 eventos: Encontros de Saúde Mental (6º edição) e Semana de Psicologia (12º edição). Há substituição de aula para o evento. Houve poucas pessoas no último evento. Pensar em representatividade a partir da adesão. Explicaram aos calouros sobre o CEP, o encontro tem um espaço de abertura para extensão. Muitos estão no último ano. Corte da cota de impressão, justo no período de iniciação do jornal

FMU: há uma letargia dxs estudantes, muitas dificuldades em articular o ME

UNIFESP: Houve a abertura do Espaço Estudantil quando xs estudantes resolveram enviar a lista com os nomes de responsáveis pela sala, mas o fizeram com uma quantidade alta e como não foram definidos os padrões, teve que ser aceito este limite. No E.E. organizamos ações auto gestionáveis, como o uso da computador e da impressora, onde os custos desta são realizados voluntariamente depositando o dinheiro numa caixa, além da consolidação de uma biblioteca solidária em que livros são doados e podem ser pegos livremente sem burocracias, além da reserva da sala, na qual qualquer pessoa pode fazer, simplesmnete anotando seu nome e atividade no quadro de reserva.Também estão organizando a intervenção na Audiência Pública com a reitora que acontecerá no campus.

 

UMESP:
O C.A passa por um momento de descomprometimento da gestão, com atrasos nos reembolsos financeiros, treinadores que barraram alunxs de jogarem no interpsico entre outras problemáticas
Houve a inclusão de Movimentos Sociais no calendário do próximo semestre: corep, megaeventos, machismo e terapias de reversão sexual.
Desta vez, o C.A não deu prioridade aos eventos científicos e manteve somente um grupo de estudo, que será de neuroanatomia.
O diretor da faculdade da saúde não quis anunciar os nomes de candidatos a coordenadores do curso e as representantes do colegiado por não participarem do movimento estudanti ainda tem uma posição muito passiva diante dessas problemáticas, não repassado a todxs xs alunxs o que é discutido em cada reunião do colegiado, que acontece semanalmente.
Há uma possibilidade de ser a nova coordenadora uma professora que não há consenso entre xs estudantes, porém o Centro Acadêmico não quer se posicionar em relação a isso.  Nas férias uma aluna tentou puxar diversas vezes o Centro Acadêmico para a construção de uma carta com o interesse de nomes para coordenação dxs estudantes, porém ninguém se mobilizou e agora há duas pessoas do C.A construindo esse documento. Uma aluna do colegiado disse que perguntou para o diretor o nome e que iria repassar axs alunxs.

Os atos: uma aluna faltou à supervisão para ir ao ato contra o aumento das passagens e a professora foi extremamente ríspida diante dessa situação, a aluna reclamou no facebook da situação e foi convocada para o Comitê de Ética. Não houve discussão disso no C.A, e a aluna também deixou quieto.

São Camilo: Aumentou o uso da sala do CA pelxs estudantes. Problemas das bolsas, pois há muita burocracia, não há eleição para coordenação do curso, a adm quer administrar como uma empresa e não como uma universidade. Muitxs não conseguem fazer a rematrícula. Houve um Congresso de Psicologia pago, depois se tornou obrigatório e gratuito para garantir a participação, houve questionamento do CA sobre isso e não houve resposta, enviou para a Ouvidoria. A coordenação intimou o CA e manteve-se contrário a esta postura autoritária. Rodar a panfletagem logo após a volta do ENEP.

 

Fórum Popular de Saúde SP: um local possível para manter as mobilizações. Não há consenso sobre a vinda de médicxs cubanos e o ato dxs médicxs não foi construído pelo Fórum, mas panfletaram junto com xs médicxs. I Grande Ato da Saúde (8 de agosto), fazer aula pública e tentar construir com todos os setores e chamar os outros núcleos. Articular com os outros Fóruns e a Frente Nacional para organizar por todo o país. Podermos organizar um ato no ENEP.

 

PUCCAMP: esse ano houveram as eleições para o DCE, duas chapas, o C.A apoiou (Podemos sorrir outra vez) e também fez parte. “A Filhos da Puc” é da UJS e uma galera mais reaça, e a chapa podemos conseguiu ganhar a eleição do DCE com 69% dos votos, dando prioridade aos espaços de movimentos sociais, enquanto a Filhos pegou os espaços de cultura e arte.
Construção de nova ferramenta política de formação, pois o ideal do EIV SP não estava condizente com os do C.A Psico.
Os espaços dos atos foram organizados pelo DCE, com muitos alunos, sendo uma entidade que realmente chama as pessoas para os espaços, porém como foi no final do período letivo houve desmobilização.
Dia Nacional de Mobilização estava em disputa de partidos de esquerda.

 

FMU: discutir no ENEP com estudantes da FMU

 

USP SP: o C.A estava participando das manifestações da passagem em SP, se organizaram pra irem juntos no ato do dia 17.06, foram cerca de 70 estudantes caminhando da USP até a Faria Lima e depois até a Ponte Estaiada. Depois foram aos atos da Cura Gay e Ato Médico, com saldo positivo.
A divulgação do ENEP foi fraca, porém vão 5 pessoas.

A perspectiva é continuar discutindo a questão da graduação, momento onde o curso está passando por uma avaliação, a presidente da comissão de graduação tem dialogado com xs alunxs para uma melhor discussão.

 

Encaminhamentos: Falar com organização do ENEP, articular o ato nacional contra a privatização da saúde.

Formação sobre trabalho de base em Ribeirão Preto.

Cota de impressão cortada por divulgação de jornal dxs alunxs como demanda da USP-RP.
Carta do COREP-SP sobre o processo antidemocrático da Metodista de escolha de nova coordenação.
Panfletagem na São Camilo.

 

Avaliação do atos e eventos

CONUNE: O evento teve poucos debates e se manteve mais na disputa política e de gestão da UNE, desqualificando a construção do próprio, legitimando somente as diretrizes trazidas pelos coletivos, com pouca reflexão minimamente coletiva de construção.

CONEPsi: Teve muita adesão, principalmente por ocorrer concomitante ao CONUNE, o que facilitou o transporte dxs participantes e conseguiu garantir encaminhamentos tanto do ENEP quanto da CONEP.

CNP: Aqui por SP foi a Sté como delegada. No total, tiveram 13 delegados estudantes do Brasil todo. Da sede (Brasília) não teve nenhum delegado. Muitas colocações dos proprios estudantes embasadas pela religião. Os estudantes só tinham voz nos grupos de discussão, não nas plenárias. Moção feita durante o congresso em apoio ao direito de voz dos estudantes. Só profissionais da Cuidar da profissão que assinaram a moção. Moção a favor da legalização do aborto foi repudiada por muitos e teve caso de profissionais que esconderam petições. CFP se comprometeu a incluir a CONEP para discussão sobre avaliação dos cursos. A moção sobre a voz dos estudantes foi aprovada. Também os CRPs divulgarão a existencia do ME e MA de psi. CRP 06 vai divulgar nossos belos materiais (COREP-SP). Parte dos estudantes estava lá para ter contatos profissionais, ao invés de focar no que seria deliberado no Congresso. Dificuldade de articulação da CONEP no próprio evento.

 

FENPB:

Encaminhamento: discutir espaço do Congresso da ABEP durante o ENEP (reuniao da CONEP)

Propostas:

Propor para que dia 8 o ato foque na questão da EBSERH durante o ENEP

Ver com o FOPS qual o panfleto final pra divulgar o ato do dia 8 em SP e organizar panfletagem.

 

Avaliação dos atos:
Foram confirmadas 234 pessoas no facebook, porém apenas 15 ou 20 compareceram no bloco do COREP-SP.

 

ENEP:

Campanha financeira: Thiago e Carla pegam livros na USP; Fazer 200 botons (Saúde não se vende; Love is love; Internação compulsória; Megaeventos). Pedir camisetas devolta (Ste e Carlos pressionam)!

 

Propor na plenária final que todos os articuladores regionais peguem tarefas do ENEP de forma a não sobrecarregar a sede.

 

COREP-SP se organizar durante o ENEP para pegar tarefas de forma a planejarmos melhor a nossa energia e a economia. Proposta de pegar secretaria. FAZER REUNIÃO DO COREP-SP DIA 8, DEPOIS DO ATO.

 

Durante o ENEP, distribuir as pessoas de SP pelos diferentes GDs; pessoas que já participam do COREP-SP mais organicamente também se espalharão pelos espaços. Zé facilita o GD sobre construção de CAs (com outros). Sté facilita de entidades psi (FENPB) (com outros).

Thiago facilita articulação regional (com outros). Zé no sobre privatização da saúde. Avisar Dick que ele facilitará o GD sobre Ocupações/remoções no contexto da Copa.

 

Organizar ELO sobre as últimas mobilizações nacionais.

Organizar ELO sobre Estatuto do Nascituro e a mulher (Carla e Sté).

Brainstorming de outras temas possíveis para ELOs: inserção de psicologues e assistentes sociais na educação; obrigatoridade de trabalhar no SUS depois da formação; ENADE; universidades particulares; PROUNI e REUNI

Propor Karina ou Luan pra mesa inicial.

 

 

PRÓXIMA REUNIÃO:

Indicativo de próxima reunião 21 e 22 de setembro em Ribeirão Preto. Proposta de discutir reforma curricular e trabalho de base. Trocar pelo grupo de emails os projetos políticos pedagógicos (e outras informações) das escolas que têm.

Sábado: recepção e depois formação

Domingo: organizativo e depois outra formação

Chamar Dário para fazer formação sobre trabalho de base (ver se é melhor para ele sábado ou domingo)

Para a discussão sobre curriculo: cada um trazer e publicar seu projeto político pedagógico. Chamar algum professor da COG de Ribeirão. Resgatar experiência de Santos e os LDBs com destaque

Para formação sobre trabalho de base: divulgar formação como: “as mobilizações atuais e os estudantes de psicologia”.

Indicativo de participar de um espaço na semana da psicologia da USP-RP (na primeira semana de setembro), para apresentar o COREP e convidar para a próxima reunião. Bruno vai confirmar o espaço.

 

Avaliação do COREP: precisamos retomar as formações nas reuniões do COREP; observar como a comunicação (a linguagem) utilizada no COREP é apresentada para quem estiver chegando pela primeira vez; tornar público que o corep é um espaço autônomo em relação a partidos políticos, entidades, governos e outros coletvos.

Chamado – Assembleia de Estudantes de Psicologia do Mackenzie

Diante das ultimas alterações no curso de Psicologia do Mackenzie, em particular a respeito das novas normas do TCC, onde um corpo docente foi reduzido para mais da metade; o mínimo de membros para a execução do TCC restringiu-se para um grupo; uma enorme limitação das linhas de pesquisa foi colocada, vemos a importância e a urgência de apoiar e participar da organização coletiva com essxs estudantes para a discussão e problematização dessas questões que envolvem diretamente a nossa formação.

A assembléia vai acontecer no dia 03 de setembro, no prédio T, a partir do 12h.
Maiores informações: https://www.facebook.com/events/620604421294430/?notif_t=plan_edited

Contamos com a presença de todxs!!!